25 maio 2017

Jorge Cruz no álbum a solo de Ana Bacalhau


Jorge Cruz é um dos compositores do primeiro álbum a solo de Ana Bacalhau, a vocalista da Deolinda. O álbum Nome Próprio é editado a 20 de Outubro. Miguel Araújo, Samuel Úria, Nuno Prata, Afonso Cruz, Nuno Figueiredo, Capicua, Márcia, Carlos Guerreiro e Francisca Cortesão são os outros autores convidados.

Chris Cornell (1964-2017)



Chris Cornell, um ícone do grunge que liderou bandas como os Soundgarden, Temple of the Dog e Audioslave, morreu no dia 18 de Maio com 52 anos. A GQ recolheu as reacções de dois elementos de Diabo na Cruz: 
«Uma voz incrível, uma voz negra que poderia cantar soul, numa banda que juntava rock clássico com um lado metal e que, por tudo isso, me bateu numa fase importante da vida. Fico triste e faz-me confusão. Fui ler o Tweet dele, aparentemente umas horas antes de morrer, feliz por fazer o que gostava. Como músico a entrar nos 40’s, faz-me também impressão porque sinto o tempo a passar tão rápido.»
Bernardo Barata 
«Estava a tomar o pequeno almoço com a minha filha de 4 anos, quando li a notícia da morte do Chris Cornell. Fiquei branco e mudo de choque. Praticamente não consegui trocar mais palavras com ela. No sítio para onde regressei dentro de mim, ainda não tinha filhos, voltei a ser o adolescente para quem a música tem um poder sobrenatural e salva. Ainda estou nesse sítio.
 O Chris Cornell para mim significa Soundgarden. E Soundgarden foi musicalmente a banda mais importante para mim. Ouvi o Badmotorfinger, o Superunknown e o Down On the Upside até à exaustão. Estes dois últimos discos sobreviveram ao tempo como mais nenhum disco das bandas grunge conseguiu fazer. Ouvir a música seasons (do mítico filme singles), fez-me sentir um misto de tristeza e felicidade imensa por ter vivido isto. Para mim o que morre hoje não é o Chris Cornell, é uma parte fundamental da música e uma parte de mim.» João Pinheiro

Novo single dos OIOAI

"Ela Melhora" é o primeiro single do terceiro disco dos OIOAI, banda que inclui três membros de Diabo na Cruz: Bernardo Barata, João Pinheiro e João Gil.

Com música e letra de Pedro Puppe, o single foi gravado por Bernardo Barata, produzido pelos OIOAI, misturado por Pedro Gerardo e masterizado por Miguel Marques.

Jorge Cruz colabora com Luís Represas


Numa entrevista ao Público, Luís Represas revelou que está a trabalhar num novo álbum com nomes como Jorge Cruz, Fred Ferreira e B Fachada:
«Houve uma mudança muito grande em relação à forma de compor. Primeiro surgiu a música, a estrutura melódica e harmónica, e só depois a letra. Aconteceu também trabalhar com o Jorge Cruz [Diabo na Cruz], fizemos umas coisas em conjunto, e fui buscar um produtor, o Fred, que depois sugeriu também o B Fachada.»
O novo álbum, o oitavo a solo de Luís Represas, deverá sair em Setembro deste ano.

EP de estreia dos Cassete Pirata



Os Cassete Pirata, que contam com o baterista de Diabo na Cruz, João Pinheiro, já editaram o primeiro registo de estúdio. O EP homónimo contém quatro canções e foi produzido, gravado e misturado por Benjamim. Podem ouvir aqui:

21 fevereiro 2017

"É impossível pensar em Diabo na Cruz sem pensar na obra do Zeca Afonso"


Numa altura em que se assinalam os 30 anos da morte de José Afonso, a imprensa olha para as sementes que lançou na música portuguesa contemporânea. Em declarações à Lusa, o investigador João Carlos Callixto nomeia Diabo na Cruz como um dos herdeiros de José Afonso:
«Faz todo o sentido falar em herdeiros da música do Zeca Afonso. Acho que é mesmo impossível não falar, ao pensar na música portuguesa das últimas duas décadas e meia. (...) É impossível pensar em Deolinda, Diabo na Cruz e Criatura sem pensar na obra do Zeca Afonso. São projectos que têm este espírito que o Zeca Afonso tinha de mistura de várias referências, de preocupação com as letras. De, a nível musical, não se fechar dentro de uma gavetinha.»
Em 1994, Manuel Faria coordenou Filhos da Madrugada cantam José Afonso, um disco de homenagem com bandas como os Madredeus, Mão Morta, Xutos & Pontapés, Brigada Victor Jara ou Sitiados. Manuel Faria foi agora desafiado pela Lusa a pensar quem seriam hoje os Filhos da Madrugada e a imaginar uma nova e hipotética colectânea. O alinhamento que escolheu incluiria Diabo na Cruz, Clã, Capitão Fausto, The Soaked Lamb, Deolinda, Amor Electro, Virgem Suta, Memória de Peixe, D.A.M.A., Expensive Soul, Dead Combo, Linda Martini, Paus, noiserv, Samuel Úria, The Legendary Tigerman, Camané, Gisela João, Pedro Abrunhosa, Sam the Kid, Carlão, Sara Tavares e Marisa Monte.